Estrela Pickups | Estrela Motors

Grand C4 Picasso - reestilização leve

 Citroën sobreviveu por algum tempo – se não com o nome Xsara, mas com o sobrenome Picasso, caso da linha C4 Picasso. Agora, a Citroën, que não tem SUVs na gama brasileira, começou a importar a nova geração da C4 Picasso, de cinco lugares, e da Grand C4 Picasso, de sete lugares.

Resumindo, a montadora que não tem representantes no segmento “da moda”, começa a vender no Brasil dois modelos de uma categoria que já foi “da moda” 15 anos atrás. Se, até aqui, tudo indica que a Citroën está fazendo uma aposta arriscada, saiba como os franceses podem convencer o possível comprador de um SUV a mudar de ideia rapidinho.

Rapidinho, neste caso, pode ser no sentido literal. Os modelos contam com o prestigiado motor turbo 1.6 THP, que na versão movida a gasolina, desenvolve 165 cavalos. De acordo com a marca, C4 Picasso acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos, enquanto a Grand C4 Picasso, maior e mais pesada, cumpre a tarefa em 8,7 segundos. A máxima, nos dois casos, é de 210 km/h.

Ambas chegam em duas versões. A Seduction custa R$ 110.900 na C4 Picasso e R$ 120.900 na Grand C4. Já na opção mais completa, Intensive, os preços saltam para R$ 117.900 e R$ 127.900, respectivamente.

A diferença entre elas, é basicamente nos equipamentos. Mas, desde o pacote básico, a lista é generosa. São 6 airbags (frontais, obrigatórios, laterais e de cortina), cintos de segurança de três pontos para todos os passageiros, sensores de luz, chuva e ré, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado de duas zonas, para-brisa panorâmico, controle de cruzeiro, central multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, com conexão Bluetooth, entrada USB, HD interno e comandos no volante e luzes diurnas de LED.

As versões Intensive ainda incluem abertura das portas sem a necessidade de chave, alarme volumétrico, câmera de ré, painel de instrumentos configurável com tela de 12 polegadas e volante com mais comandos.

Ainda há alguns opcionais, como teto solar panorâmico, bancos de couro com regulagens elétricas, aquecimento e massagem e, para o passageiro, apoio de pernas escamoteável, faróis bi-xênon, abertura e fechamento elétricos do porta-malas e um pacote, com sistema de estacionamento automático, monitoramento de pontos cegos com alertas nos retrovisores, sensores de obstáculos dianteiro e 4 câmeras, que dão visão em 360° do veículo.

Poltrona de avião
Na apresentação da linha C4 Picasso, o G1 avaliou a versão Grand, de sete lugares, na versão Intensive e equipada com todos os opcionais. Foram 50 km ao volante e outros 150 km nos demais bancos.

Normalmente, os trechos nos assentos dos passageiros não são relevantes. Neste caso, porém, vale a menção. Sobretudo quando a marca faz alarde de que viajar ao lado do motorista é ter experiência semelhante à de viajar de classe na executiva de um avião.

Exageros da Citroën à parte, o banco com regulagens elétricas, massageador e apoio para as penas acionado eletricamente é bastante confortável. Além disso, há encosto de cabeça ativo, com apoio inclusive para a lateral da cabeça, o que reforça a seção de relaxamento do passageiro.

Bancos do Citroen Grand C4 Picasso (Foto: Divulgação)       Porta-malas do Citroen Grand C4 Picasso (Foto: Divulgação)Citroen Grand C4 Picasso (Foto: Divulgação)